TRANSLATE

VISUALIZAÇÕES DA PÁGINA

terça-feira, 31 de outubro de 2017

MOVIMENTO E SAÚDE: OUTRAS IDADES

Para cuidar da saúde, tendemos a pensar nos mecanismos palpáveis para prevenir doenças e melhorar os sistemas de defesa do organismo, e que são baseados em alguns pilares, de forma que se consiga manter o equilíbrio (homeostase) do corpo.

E para que esse equilíbrio seja alcançado, segue todas aquelas dicas de saúde que sempre ouvimos falar: praticar exercícios, ter boa alimentação, dormir bem, evitar preocupações e stress, etc.

O exercício físico reduz o risco de morte prematura por doenças cardiovasculares, diabetes do tipo II e cancro do cólon, reduz ainda a depressão e a ansiedade, ajuda a controlar o peso corporal, a reduzir a hipertensão arterial, a manter a saúde e bom funcionamento do sistema músculo-esquelético e melhorar a mobilidade.

A alimentação fornece nutrientes, que são as substâncias que precisamos para nutrir nosso organismo, como: proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas, minerais, fibras e água.



Já o Sono, essencial! Tem a função de proteger a saúde mental e física de um indivíduo, além de melhorar a qualidade de vida. E assim seguindo aos demais itens mencionados; a configurar o equilíbrio apropriado ao corpo, mente e espírito.

E se a questão é equilíbrio, movimento é necessário: nem de menos e nem demais: o movimento está presente em tudo no universo.

Tudo que existe, desde o micro até o macro necessita do movimento para se manter equilibrado: átomos, células, órgãos, animais, planetas, galáxias – tudo se move.

Uma árvore que não é flexível quebra com uma tempestade, uma folha quando cai no chão fica seca e dura; um corpo morto é rígido.

Já a folha que fica na árvore é mais flexível, assim como um bebê ou um brotinho de planta. Eles estão no inicio de sua jornada, ainda flexíveis e se preparando para moldar-se aos recipientes da vida.

Assim também é o nosso corpo. Quando nascemos, estamos cheio de vida, de movimento e de flexibilidade.



Com o passar dos anos vamos perdendo essa flexibilidade e têm início os processos que quebram esse equilíbrio corporal.

Portanto, exercícios são necessários, contudo, exercícios demasiados são prejudiciais, pois, um músculo que se alonga demais pode romper, o coração que bate muito rápido (taquicardia) pode estar desequilibrado, um disco intervertebral da coluna que se move muito tende a gerar uma hérnia de disco. O que não significa dizer que deve-se tornar um sedentário de "carteirinha e tudo".

Muitas vezes a doença é um aviso do corpo sobre a falta ou exagero dos movimentos naturais que o compõem. Um corpo que sofre com o desequilíbrio de movimento pode sair da linha e perder a homeostase.

Ideal seria sempre seguirmos as dicas de saúde já conhecidas porque elas fazem com que nosso corpo consiga regular os movimentos ‘micro e macro’, deixando-o o mais ‘neutro’ possível, e assim, tornando-nos menos propensos ao aparecimento de doenças. Por isso, movimente-se!